acupuntura-salvadorA utilização da acupuntura como recurso terapêutico pode ser justificada a partir da compreensão de seus mecanismos de ação.
Em síntese, vários efeitos de relevância clínica podem ser gerados pela acupuntura (ACP) ou eletroacupuntura (EACP). Dentre eles, destacam-se os efeitos analgésicos, relaxante muscular, sedativo/hipnótico, antiemético, ansiolítico, antidepressivo (leve), anti-secretor (HCl), antiadição, antiinflamatório, indutor da imunidade, facilitador na reabilitação após acidente vascular encefálico e estimulante da reparação e cicatrização tecidual.

Indicações da Acupuntura
As indicações que seguem, com base no CID (Código Internacional de Doenças), são situações clínicas nas quais o uso da Acupuntura, realizada por médico especialista, está indicado, seja como terapêutica principal, seja como coadjuvante, conforme a gravidade e a evolução de cada quadro clínico em particular.
A justificativa para tais indicações baseia-se tanto em pesquisas e estudos clínicos controlados, como na utilização da Acupuntura Médica na clínica diária, com base em seus mecanismos de ação, já suficientemente conhecidos e comprovados cientificamente. A ação neuromoduladora da Acupuntura sobre os mecanismos neurais e humorais de regulação do organismo justifica sua indicação, não apenas no tratamento da dor, como também em distúrbios funcionais e autonômicos, bem como em alterações endócrinas e do sistema imune.
Muitos tratamentos da lista mencionada abaixo, podem ter o tratamento com acupuntura como primeira escolha, e em outros casos, o tratamento com acupuntura é um tratamento coadjuvante, assim como outras terapias, proporcionando ao paciente uma recuperação mais rápida, redução da dor, melhora do sono e da ansiedade e outras.

Assim, conheça abaixo quais são as principais indicações da acupuntura no tratamento das mais diversas patologias:

– Região cervical e membros superiores: dor miofascial (muscular), ombro congelado, dor crônica do ombro, cervicalgia (dor/rigidez na região do pescoço), osteoartrite cervical, cervicalgia crônica, periartrite do ombro, epicondilite (inflamação dos tendões do cotovelo),  LER/DORT, distrofia simpática reflexa, síndrome de túnel do carpo e dor pós-cirúrgica.
– Região lombar e membros inferiores:  lombalgia (dor na região lombar) aguda, lombalgia crônica, ciatalgia (dor ciática), osteoartrose de joelho, osteoartrite de joelho e quadril, fasciite plantar (inflamação na planta do pé/calcanhar), esporão do calcâneo e dor pós-cirúrgica.
– Dor em geral: dor crônica,  fibromialgia, síndrome dolorosa miofascial, artrite reumatóide, osteoartrite, neuralgia pós-herpética, dor pós-operatória, dor oncológica.
– Dor de cabeça: cefaléia tensional, cefaléia cervicogênica, enxaqueca, dor crânio-facial, desordens da ATM (articulação temporo-mandibular), neuralgia occipital, e outras dores…
– Sistema genito-urinário: TPM, dismenorréia (cólica menstrual), cólica renal, cistite intersticial crônica, dor por endometriose, retenção urinária pós-parto, síndrome do climatério, disfunção sexual, instabilidade vesical, dor pélvica crônica, prostatite crônica, prurido vulvar, ejaculação precoce, hemorragia uterina disfuncional.
– Náusea e vômitos: pós-operatório,  na gestação, por quimioterapia e radioterapia e outras causas.
– Gastroenterologia: dor na pancreatite crônica, síndrome do cólon irritável, cólica biliar, constipação crônica (prisão de ventre/intestino preso), gastrite, cólica intestinal, e epigastralgia.
– Face-sinus-boca-garganta: xerostomia (boca seca),  dor facial crônica, dor no pós-operatório odontológico, dores da ATM (articulação temporo-mandibular), desordens de oclusão, dor facial de origem dentária, nevralgia do trigêmeo, paralisia facial periférica, analgesia dentária, rinite e dor.
– Alergia e imunologia: asma brônquica,  rinite alérgica.
– Dermatologia: psoríase, eczemas, acne,  alopecia areata, dermatite de contato, eritema multiforme,  neurodermatite.
– Desordens psiquiátricas: ansiedade causada pela dependência química, alcoolismo e  tabagismo. Enurese noturna, depressão leve, insônia, ansiedade, estresse, hiperatividade em crianças,e  transtornos psicossomáticos.
– Sistema nervoso: seqüelas de AVC (acidente vascular cerebral), vertigens, zumbidos, dor de neuropatia diabética, espascitidade, distúrbios motores espásticos em crianças (com paralisia cerebral).